segunda-feira, 30 de maio de 2011

Vento - Kleber Nunes


Vem vento e refresca,
E trás consigo o cheiro dela,
Cheiro de cravo e canela,
Trás a semente e a poeira,
Oferece teu sopro ao luar.

Vem brisa que acalma,
Trás o perfume dos peixes,
O recado das ondas,
O chuvisco e a garoa,

Trás tudo brisa; tudo que possa germinar.

Cadê o luar - Kleber Nunes


Noite fria e triste de crepúsculo,
Poeira que cega e incomoda,
Semente de vida que não brota,
E a felicidade? Talvez escondida atrás da moita; quase morta.

Chuva, chuvisco e névoa,
Quanto barro, quanta lama,
Quero meu ar! Cadê o luar?

A marola do mar levou a esperança,
A brisa levou a fé,
Levaram meu ar,
Levaram minha flor,
E o que sobrou?

Chuva, chuvisco e névoa,
Quanto barro, quanta lama,
Quero meu ar! Cadê o luar?

Natureza viva - Kleber Nunes


Quero rosto ao vento,
Energia telúrica do solo,
Som de águas que cantam,
Ondas que falam do mar,
Quero praia.

Quero botão de rosa branco,
Copo d’água com anilina amarela,
Mosquitinhos para enfeitar,
Pétalas amarelas florindo.
Quero flor.

Quero noite clara,
Céu estrelado,
Pés descalçados,
Roupa leve,
Quero luar.

Quero seiva conduzindo vida,
Grama verdejante para deitar,
Névoa para brincar,
Brisa que vem do mar...
Quero a relva.

Qurero praia,
Flor,
Luar,
E relva...
Quero mel para adoçar.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Acauã - Kleber Nunes


Canta acauã,
Pairando no sertão,
Encanta acauã,
Anunciando o amanhã,
Voando e encantando,
Levando a maçã,
A romã,
Preparando o amanhã,
Esquivando-se da ignorância,
Com esperança e santidade...

Santa esperança - Kleber Nunes


Esperança superando,
Ignorância sangrando,
Esperança sã,
Ignorância vã.

Santa esperança.

Engano e pranto,
Oceano naufragando,
Drama dificultando,
Engano tramando.

Santa esperança.

Esperança destoando,
Esperança encantando,
Esperança suspirando,
Esperança anunciando.

Santa esperança.

domingo, 22 de maio de 2011

Oceano e esperança - Kleber Nunes

Esperança naufragando,
Esvaziando,
Empoeirando,
Escapando.

Esperança vã,
Desconfiança sã,
Oceano naufragando,
Drama pairando.

Esperança destoando,
Superando,
Evocando,
Encantando.

Ânsia e esperança,
Drama e santidade,
Suspirando e louvando,
Amando e suspirando.

Oceano e esperança,
Encanto pairando.

Esperança cansada - Kleber Nunes

"A insanidade se instala onde a ferrugem corrói a esperança"

Insanidade - Kleber Nunes

"A insanidade vence quando a esperança cansada de esperar morre empoeirada"

Endereço do amor - Kleber Nunes


“Tocar o céu, abraçar o mar, envelopar a lua, sentir o sol queimar dentro do peito e inundar os pulmões de sentimentos; tudo isso é permitido aos que amam e percebem no sentido das palavras o endereço do amor”.

sábado, 21 de maio de 2011

Luto fútil - Kleber Nunes


Luto fútil,
Fútil e escuro,
Escuro e burro,
Burro e estúpido.

Luto fútil.

Vulto inútil,
Inútil e imundo,
Imundo e último,
Último tumulo.

Luto fútil.

Chumbo no tumulo,
Tumulo na chuva,
Chuva no chumbo,
Chumbo e adubo.

Luto fútil.

Sábado de parto - Kleber Nunes

Sábado

Átomo, ato e face,
Parto, Risada e abraço,
Batizado animado e farto,
Sábado claro e plácido.

Amizade, abraço e uma praça,
Árvore, orvalho e calma,
Pássaro, pato e cascalho,
Agradável sábado! Sábado raro.

Risada, palhaço e bala,
Graça, piada e compasso,
Alma pelada e fralda,
Teatro mágico e animado.

Gargalhada fácil,
Astral animado,
Chocolate e bala,
E claro! Piadas...

Agradável e raro? É claro!
É sábado de parto.

sábado, 14 de maio de 2011

Combustível da carne - Kleber Nunes

Espírito


Aos que o imaginam leve como uma pena,
Aos homens que choram,
Aos que acreditam na sua trajetória milenar mesmo numa criança de dois anos,
E aos que o enxergam numa estrela,

Eis o espírito,
Habitante do corpo, combustível da carne.

Aos que o procura no pastor, padre, ancião ou espelho,
Aos que o ignora e o fere como um assassino,
Aos que o procura num barco a deriva,
E até para as meretrizes,

Eis o espírito,
Habitante do corpo, combustível da carne.

Aos que o veêm no brilho da lua,
Aos que atribuem sua moradia ao céu,
Aos incrédulos,
E aos convictos de sua existência,

Eis o espírito,
Habitante do corpo, combustível da carne.

Espírito - Kleber Nunes

                                   Espírito

Levesa de pena branca,
Essência do céu azul,
Pureza que encanta e salva,
Brilho de um astro nu.

És centelha divina,
És um pedaço de Deus!

Moral elevada buscas,
Alma embutida no corpo,
Erro que te conduz ao acerto,
Distância curta para o céu.

Luminosidade que ofusca o breu,
Eternidade é o teu destino,
Espírito puro e amigo,
Evolui e segue sorrindo.

És centelha divina,
És um pedaço de Deus.

domingo, 8 de maio de 2011

Frio e solidão - Kleber Nunes


Sinto-me como um iceberg,
Minhas esperanças se afogam,
Na linha do mar afundo,
A solidão mora em meu cume.

A vida do sol me alegra,
Mas ele é tão distante!

A forca se apodera de mim,
Toma meu ser,
Joga-me ao ar,
Sufoca meu sorriso e transforma-o em pranto.

Vejo a saudade na linha do horizonte,
Sentimento sorrateiro que se apoderou de mim.

Quero um abraço apertado,
A alma acalentada,
Felicidade numa bandeja,
E dela me servir como criança a se lambuzar com doce.

Brasa acesa da paixão,
Queima em meu peito e cura minhas feridas.

Quero desejo arrepiando meu corpo,
Mar aberto que me liberte a alma,
Tranquilidade de um botão de rosa,
Uma montanha de motivos para alegrar meu ser.

Ar leve de domingo, silêncio ao nascer do sol,
Quero brisa com cheiro de mato e um vento que sopre a tristeza.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Descartabilidade humana - Kleber Nunes



Com o advento da globalização, muitos produtos e serviços tornaram-se descartáveis no mercado e isso se deve muito ao progresso tecnológico que proporciona novos e melhores produtos por um custo menor.
Descartar bens materiais até conseguimos entender e precisamos nos adaptar a essa realidade mas descartar vidas e deixar crianças recem nacidas em lixeiras, caçambas de lixo e banheiros de hospitais tem se tornado uma nova forma de descartar só que nesse caso estamos falando de vidas, bebês indefesos.
Enquanto há milhares de mulheres impossibilitadas de terem filho e investindo tudo que podem para conseguirem engravidar, outras tantas agem de forma primitiva e irresponsável julgando-se capazes de decidir quem vive e quem morre.
É difícil entender o que leva uma pessoa a agir assim mas com certeza algumas conclusões são óbvias, falta Deus na vida dessas pessoas, falta poder público atuando com compromisso de facilitar os processos de adoções e esclarecer a população e também falta educação.
Enquanto o governo tratar um assunto como esse como descartável e não prioritário esse tipo de situação continuará existindo e o número de vítimas indefesas só aumentará.
Que sociedade moderna é essa que vivemos onde o bem mais valioso que temos é descartado sem nenhum pudor?
Sorte aos bebês! Que possam nascer bem, em lares decentes e terem mães que não descartem a vida e o amor.

Universo equilibrado - Kleber Nunes


“Aquele que se prepara para construir um barraco e o constrói, merece-o.
Aquele que se prepara para construir uma mansão e a constrói, merece-a.
Aquele que não se prepara e nada constrói dorme ao relento e merece-o.
Assim segue o universo, justo e equilibrado.”

Brasa acesa - Kleber Nunes


A brasa acesa da paixão queimou, 
E mesmo com o calor da brasa,
Os corpos ficaram arrepiados,
E um botão de rosa floresceu em cada coração.

Beijos selavam o amor,
Amor traduzido em beijos,
Paz como um domingo ensolarado,
Horizonte saudoso e desejado.

Beleza comparada a montanha,
Mar liberto e oportuno,
Abraço feliz e apertado,
Filho que ainda não vieram ao mundo.

Calor interno, frio na barriga, prazer,
Palavras desconexas, incompreensíveis, sussuros,
Vulcão de prazer pronto para erupção,
Lavas do cume a banhar corpo nu.

Pranto desprezível - Kleber Nunes


Pálido pranto breve,
Basta beber-te e pronto,
Percorres a pele e pára,
Na boca pasmada em pranto.

Barrar-te sempre é preciso,
Penumbras no breu sem brio,
Pranto desprezível busco,
Desbancar teu berço sombrio.