quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Banhar-se no mesmo rio - Kleber Nunes



Se o rio que me banho hoje
É o mesmo de ontem
E mesmo assim não me banho no mesmo rio
Mudei eu?
Ou mudou o rio?
Se não sou hoje
O mesmo de ontem
Hoje sou outro
Sou livre
Sou quem eu quiser...
 

domingo, 19 de outubro de 2014

Sonhos extraviados - Kleber Nunes




Sobre os sonhos...
Alguns permanecem em nós
Insistem em tornar-se realidade
Norteiam nossos passos
Servem de alvo
Para muitos de nós
A única coisa que temos são eles
Os sonhos
Outros se perdem no caminho
Esbarram na realidade e não resistem
Vão para nossa caixa de amores perdidos
Projetos inacabados
Equívocos irreparáveis
Frustrações...

quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Perguntas sem respostas - Kleber Nunes


 
A faca no meu peito
Cravada e dilacerante
É o que mais dói em mim
Culpa minha!
Eu mesmo a cravei
E tenho cravado
Toda vez que olho no espelho
Não encontro as respostas que procuro
E a vida se torna pouco
Ou demais pra mim...

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Devaneios do caminho – Kleber Nunes




Da vida...
O que resta?
Se cada passo não vier acompanhado de uma reflexão
De uma busca
De uma esperança renovada
Da certeza absoluta que um minuto atrás é passado
Da angustia de não saber nada sobre o minuto seguinte
Se o passado se foi e o futuro ainda não chegou
Só nos resta o presente
E quando o futuro chegar também será presente
Então o que temos
É o que temos
hoje

 
 
 

Burilamentos – Kleber Nunes



Alma inquieta
Invólucro de toda essência
Templo divino das reflexões
Aprecio tua luta constante para desvencilhar-se das inutilidades
Dos pobres limites daquele que a abriga
Densa carne
Carne densa
Tudo é lindo quando a alma sobrepõe a matéria
Faz-se maior
E afasta de si toda covardia
Toda desculpa esfarrapada que nos impede de crescer
Todo sofrimento que justificamos culpando os outros
Linda e triste condição hominal

Burilamentos...
 

quinta-feira, 5 de junho de 2014

A tal da felicidade - Kleber Nunes



Ouvi falar sobre a felicidade
Um estado iluminado de êxtase
Todos os desejos atendidos
Todas as bênçãos ao alcance
A tal da felicidade
E como me causou estranheza!
Como ser feliz...?
Quando morre alguém que amamos
Quando um filho adoece
Quando um amor se vai
Quando a esperança desiste de tentar
Tem dias que simplesmente sinto-me feliz
Em outros simplesmente sinto-me triste
Simples assim!
Ouvi falar sobre a felicidade
Do tipo palpável
Merecida
Graça alcançada
Mas ela não reside constantemente em mim
Vem, vai embora e as vezes demora a voltar
Tento vivencia-la nas pequenas coisas
No caminho percorrido e não apenas na chegada
Não posso agendar um dia para ser feliz
Tratar a vida como uma receita pronta
Não dá!
Prefiro acreditar em momentos de contentamento
Ascender as luzes que eu puder
Satisfazer-me com as coisas simples
Ignorar as futilidades

Amar, sentir e Viver...
 

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Traduzir-se – Kleber Nunes



O espelho mente!
Costuma nos iludir
Uma amostragem artificial do ser
Quem você é?
O que foi?
O que será?
Conhece a ti mesmo?
Sabe do que é capaz?
Convive harmoniosamente com tuas incapacidades?
Arrepende-se do que fez?
Lamenta o que não fez?
Dúvidas...
Incertezas...
Angustia por ser livre e não saber para onde ir
É preciso situar-se no mundo
Mas como!
A tradução do que somos é de difícil interpretação
Há muitas páginas em branco
E precisamos escrevê-las
 
 

Quando dói somos iguais – Kleber Nunes




Quando nos tornamos refém da dor
Quando o medo nos assombra
Quando a morte nos espreita e a sentimos por perto
Não importa quem somos
O que temos
Não importa nossa cor
Nosso credo
O coração aperta
O estomago sofre
E chorar é quase inevitável
Quando perdemos alguém que amamos
Para a vida ou para morte
É comum nos rendermos à tristeza
E mais comum ainda tudo perder o sentido
Quando a decepção se torna constante em nossa vida
E ninguém mais parece merecer nossa confiança
É muito comum nos fecharmos
Sofrermos
Escolhermos o silêncio
Quando a solidão torna nossas noites mais longas e frias
E a única certeza que temos é que a noite seguinte será igual
É muito comum perdemos a esperança
Diante das dores da alma somos todos iguais

Há tantas lições na dor...
 

terça-feira, 8 de abril de 2014

Simplesmente mulher – Kleber Nunes


 
Ardo ao esperá-lo
E a pele arrepiada disfarça a febre que me consome
Vulcão em erupção
Frio na barriga
Desprezo e saudade
Nada conexo...
Sono e vontade de ficar acordada a noite inteira...
É por você que espero
Um posseiro
Que me invada sem pedir
Educado e domador
Macho e sensível
Tarado e fiel
Que me beije ao amanhecer
Que me proteja
Que me ame
Alguém que me possua e me permita possuí-lo
Nobre de dia
Viril de noite
Amoroso e verdadeiro em todos os momentos...

Cadê você?
 

Tua sombra - Kleber Nunes


 
A sombra que te reflete
Desnuda-te
Diz sobre ti
Reflete sim
Um anjo?
Um demônio?
A sombra que te reflete
Às vezes é o que você vê
Às vezes o que imagina ser
Será que é você?
Se a sombra que te reflete não é você
Se é o que imagina ser
Onde está você?
Na imagem refletida do teu ser
Noutra imaginada por você
Onde?
Se a essência não tem sombra
A matéria desaparece
E as emanações mentais são invisíveis
A sombra que te reflete
O que é?
Além de sombra...