segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Teu olhar – Kleber Nunes





Não se trata de um olhar impenetrável
Seria mais fácil
Ser impedido de decifrá-lo
Bater e voltar sem nada trazer

Há nesse olhar um tesouro perdido
Um abismo de realidades invisíveis
O brilho de uma joia esquecida
Fobia de alma

Há nesse olhar tristeza e amor
Alegria e furor
Vida e torpor
Frieza e ardor

E eu que julgava decifrá-lo
Por ele já fui consumido
Lançado no abismo
Perdi-me e não acho a saída

Não sei com quais dos olhos enxergo a vida
Se com os meus, aflitos de decifrar-te
Se com os teus
Que busca entender-se

Fecho os olhos e a encontro
Abro, e lá está você
Com teu olhar distante
E dentro de mim



quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Sublimação – Kleber Nunes





Nem tudo que hospedo em meu peito é bem-vindo
Mas se está aqui
Em algum momento permiti
E hoje confunde-se comigo

Quando a consciência desperta
E o desejo de ser apenas eu, floresce
Expulso tais hospedes
Ainda que insistam em ficar

Engano o sistema nervoso
A consciência
Adapto-me para sobreviver
Substituo os enfeites de minh´alma

Quero vinho e tomo água
Quero orgia e faço prece
Penso em vingança e planto uma flor
Ou o contrário...